ATA REUNIÃO ORDINÁRIA 24/03

ATA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CAPB 24/03/2017

REPASSES:

• Câmara de Graduação: reativação da comissão de moradia com reuniões quinzenais; a orientação é de não aprovar convênios para estágios de alunos oriundos de faculdades privadas; professores representantes na Câmara não estão indo às reuniões.
• Oficina da Reforma Curricular: : Wumathylla relatou que foram poucos alunos (cerca de 20) e muitos professores (cerca de 100).
• Cartaz com e-mail para reclamação do Bandex: foi retirado no dia seguinte.
• Conselho de Campus: foi elaborada a lista tríplice para a diretoria do Campus.
• Reunião dos CAs: CEE disse que não limparam o DCE porque não tinham material. Dos 5 representantes do CAPB apenas o Victor foi a favor de estabelecer uma punição para a CEE. O CAPB (em decisão nesta RO) defende que tenha pelo menos um CA responsável por futuras festas.
• Balanço financeiro CAPBreja. Prejuízo de R$619,95. Gastou R$1.159,95.

ORDEM DO DIA:

• ROs temáticas: datas e temas. 30/03 (12:30 – Reforma da Previdência: Bruno/Maísa – vai criar o evento). 13/04 (12:30 – Trote: Isabela/Lucas). 11/05 (12:30 – Organização institucional: Victor). Outros Temas: Maconha, Saúde Mental, Cotas Raciais, Feminismo, Ocupação da Cidade, Determinação social, Opressões, Currículo Oculto, OSS, Arte e Política, Indústria Farmacêutica, Educação Médica.
• Vinhada: veremos com a gestão no grupo e decidiremos na próxima RO se haverá Vinhada (e o dia, se houver)
• Workshop: 05/08. Lucas reservará o Teatro ML.’
• CNPJ do CAPB :
Votação:
1) Falar pessoalmente com o responsável pelo CNPJ: 4
2) Mandar mensagem: 3
3) Não se comunicar: 0
1 abstenção
• Como Funciona a Sociedade: estudar uma data.
• Lojinha e biblioteca PAUTA ADIADA
• Extensão (CCM está discutindo a inclusão da extensão no currículo) PAUTA ADIADA

ATA REUNIÃO ORDINÁRIA 17/03

ATA REUNIÃO ORDINÁRIA 17/03/17
Informes:
• Wumathylla sugere replicação da Aula “Ideologia Fascista, Eugenia e um período na história da Psiquiatria Paulista”, do Prof. Dr. José Alberto Del Porto, em atividade do CAPB
• Camila Matiuzzi: Intercâmbio internacional (SCOPE): Unifesp receberá dois alunos (México e França). Está aberto o edital de vagas NBC 2017.2 (Brasil-Cuba)
• I Oficina de Reforma Curricular (18/03)
• Repasse da CCM: Criação da Comissão de Averiguação
• Isaac: primeira segunda de abril (03/04) vai ter reunião do processo participativo do PDInfra sobre espaços de convivência.
Pautas:
• Sofás na sala rosa: Marina trouxe a pauta porque pessoal do Pockets e Há Braços reclamaram dos sofás (estão em péssimo estado e acumulam poeira). Wumathylla propõe que os sofás vão pro térreo do dce. Todos os argumentos serão levados na reunião dos CA’s. Representantes dos projetos são convidados a irem na reunião dos CA’s (quinta-feira 12h)
• Planejamento reuniões temáticas:
– Victor defende reuniões menos expositivas, acarretando menos trabalho para que for mediar.
– Camila acha positivo trazer coisas novas nas reuniões
– Marina acha que deviam ser menos frequente
– Bruno acha importante algumas pessoas estudarem alguns assuntos. Acha que os temas devem ser escolhidos antes, mas aos poucos vemos os horários, de acordo com o número de pessoas que comparecerem.
– Wumathylla questiona a periodicidade e o horário em que são feitos os espaços. Temas devem ser escolhidos de acordo com a sua importância para o momento.
– Propostas sobre dia da semana:
1) reuniões temáticas esporádicas:  4
2) reuniões temáticas em dias diferentes da RO: 5
3) reunião temática a cada 15 dias (usando a maior parte da r. o.): 1
3 abstenções
• Próxima RO: 24/03 – 12:00.
• Peça: deveria ter aviso de gatilho para estupro.
• Festa: reclamação de que tinham músicas com conteúdos ofensivos. Playlist ficou aberta no final da festa. Falta de organização na elaboração da lista.
• Balanço financeiro para próxima RO.
Pendência: decidir o calendário das reuniões temáticas e o dia que serão definitivamente as ROs.

CARTA DE APRESENTAÇÃO – CHAPA FLORES DE PAPEL 2017

O curso de medicina estrutura-se de forma predominantemente técnica e passiva, suprimindo o ímpeto criativo e a crítica da comunidade acadêmica, sob o pretexto de uma excelência do ensino. Isso é desumanizante e alienante para a formação dos estudantes e, consequentemente, médicos.
Contudo, em nossa vivência enquanto alunos, percebemos o quanto tal modelo é ultrapassado e ineficiente para nossa formação como profissionais e agentes sociais. Ciente disso e ansiando por mudanças, a Chapa Flores de Papel se propõe a reorganizar e produzir junto à comunidade discente, um Centro Acadêmico dinâmico, que busque melhorar a qualidade de vida dos alunos e construir uma Universidade e Sociedade mais democráticas e justas.
A Chapa Flores de Papel acredita na articulação dos estudantes como a força motriz para mudança, superando a apatia e desinteresse decorrentes de um cotidiano desgastante e da carga horária excessiva, assim como o esvaziamento político presente na Escola Paulista de Medicina. Através da aproximação à comunidade universitária e construção constante do nosso projeto de Centro Acadêmico, pretendemos conquistar nossas demandas, desde um modelo de ensino democrático, enriquecedor e condizente com a nossa realidade, até um SUS efetivamente universal e eficiente.
Objetivando ir além das necessidades burocráticas, propomos fomento ao debate em espaços de formação frequentes, integração dos estudantes às questões institucionais, intensificação do diálogo com os discentes (compartilhando informações e ouvindo demandas, para construirmos juntos soluções), adequação da permanência estudantil e da busca por maior vínculo com a instituição.
A Universidade é um espaço de reprodução e perpetuação da dinâmica social e, portanto, transformá-la é também transformar a sociedade. A Chapa Flores de Papel propõe a retomada do papel central do estudante no ambiente universitário, unindo nossas vozes em prol de uma melhor educação, uma universidade mais diversa, e defesa dos interesses estudantis, tornando a Unifesp mais consciente de si e da população a quem serve.

Lançamento do edital de candidatura a gestão 2016/2017 do CAPB

Nesse mês de novembro se encerra a gestão 2015/2016 “Pássaro-palavra” do CAPB. Dessa forma, a comissão eleitoral desse ano foi montada, e o edital de candidatura para as chapas que eventualmente queiram concorrer à gestão 2016/2017 do Centro Acadêmico, lançado.

Continue acompanhando o processo de eleição da gestão do órgão representativo oficial dos estudantes de Medicina do campus São Paulo da Unifesp!

edital-eleic%cc%a7o%cc%83es-capb

PARALISAÇÃO E OCUPAÇÃO DO RU- 30/06/2016

Frente ao corte de verbas, à precarização dos serviços e da qualidade da educação, à possibilidade de fechamento do restaurante universitário e à retirada de direitos de permanência estudantil; os estudantes da Unifesp campus São Paulo se mobilizaram em prol dessas pautas, articulando paralisação composta por diversas atividades e ato ao final do dia. O estudante é central dentro do ambiente universitário e, como tal, deve ter direito pleno de ocupação de espaço e formação de qualidade atrelados à qualidade de vida; ressaltando sempre que a vivência universitária se compõe de aspectos que excedem os acadêmicos. Diante disso, a mobilização começou com uma oficina de cartazes, incluindo intervenção nas escadas da diretoria da Escola Paulista de Medicina e também casa símbolo da instituição.

Em seguida, os alunos migraram para o bandejão, onde está acontecendo uma ocupação passiva, representativa não apenas da insatisfação diante da atual situação da Unifesp, mas sobretudo de uma efervescência da consciência coletiva de que esse espaço pertence aos discentes e deve funcionar em seu benefício. A ocupação, apesar da resistência da diretoria, está acontecendo sem grandes intercorrências, com os alunos ocupando os postos de trabalho e dando funcionamento ao RU.

A programação para o transcorrer da tarde inclui debate sobre nossas pautas e repasses de outras universidades públicas que também vêm sofrendo com o subfinanciamento e apoiam a luta. Uma concentração às 16h para o ato tomará espaço no Diretório Central dos Estudantes em seguida.

As instituições aqui representadas incluem os centros acadêmicos da Medicina, da Fonoaudiologia, da Biomedicina, da Enfermagem e das Tecnologias em saúde da Unifesp campus São Paulo; da Unifesp dos campus Guarulhos e Diadema; da DENEM (Direção Executiva Nacional dos Estudantes de Medicina); da USP; Da Unicamp; da UFABC; da UNE (União Nacional dos Estudantes); e da UEE-SP (União Estadual dos Estudantes de São Paulo).

Ocupação e Resistência estudantil de uma Unifesp em luta!

Ata da Mesa Redonda: Anasem – 23/06/2016

 

Convidados:
Arthur Chioro (ex-ministro da saúde e professor de Saúde Coletiva da Unifesp/EPM)
Renan Zaramella (estudante de medicina na Santa Casa de São Paulo e coordenador regional na Sul-2 DENEM e na ABEM)

Nesta quinta-feira (24/06), às 18h30, a Unifesp sediou uma mesa redonda sobre a Anasem (Avaliação Nacional Seriada dos Estudantes de Medicina). O espaço teve início com a apresentação do ex-ministro Arthur Chioro, que contextualizou a gênese do exame, atrelada ao programa Mais Médicos de 2013. Este surgiu de uma demanda social, com forte insurgência e manifestações públicas, entre outras pautas, pela melhoria da saúde. O bojo em que tal situação se inseria foi destrinchado pelo professor, que salientou a escassez de profissionais da saúde no Brasil; a sua má distribuição no território nacional (apenas 5 unidades da federação possuíam profissionais suficientes, isto é, pelo menos 1,8 médicos/mil habitantes); e apenas 64% da demanda nacional era atendida pelo número de médicos formados. Dessa forma, em 2013, elaborou-se o Mais Médicos, pautado em 3 pontos fundamentais: vinda de médicos estrangeiros a fim de suprir a falta imediata de profissionais, aumento de vagas em cursos médicos e a mudança das diretrizes curriculares já existentes, Continuar lendo