Carta lida durante a Sessão Solene do CONSU na data de hoje,com a presença do Ministro Fernando Haddad.

São Paulo, 10 de março de 2010.

Prezados senhores,

O Diretório Central dos Estudantes da UNIFESP e outras entidades estudantis vêm aqui manifestar seu repúdio veemente à Reforma Universitária do Governo Lula e ao modelo de educação que vem sendo aplicado no país como forma de reprodução do sistema neoliberal.

Colocamo-nos contra o processo de expansão universitária iniciado pelo REUNI, como uma forma desqualificada da abertura de vagas na educação superior, sem levar em conta a infraestrutura das universidades, a qualificação do quadro docente e as políticas de assistência estudantil. Somos contra, também, à opção política pelo modelo da “Universidade Nova”, que prima pela formação barata e rápida de uma grande massa de estudantes voltada, unicamente, para atender às necessidades do mercado de trabalho, sem permitir uma real formação universitária dos cidadãos.

Exigimos que a UNIFESP pare com a abertura indiscriminada de novos cursos, até que a comunidade universitária reflita sobre qual a função e o objetivo da nossa instituição e a sua política de graduação e até que os campi e cursos já iniciados tenham condições adequadas de funcionamento, como salas de aulas, bibliotecas e acervo, laboratórios, restaurante universitário, quadro docente suficiente e qualificado para o funcionamento integral do curso, corpo técnico-administrativo para desenvolvimento da graduação, pesquisa e extensão, planos de assistência estudantil para transporte e alimentação e moradia estudantil. Defendemos, intransigentemente, a abertura imediata de concurso público para contratação de docentes e trabalhadores técnico-administrativos em educação. É preciso, também, acabar com essa política de aluguel de inúmeros imóveis para a Universidade e com as parcerias provisórias com Prefeituras Municipais e começarmos a construção de sedes definitivas para as atividades da UNIFESP.

Colocamos aqui a assistência estudantil como um problema estrutural da Universidade que atinge todos os cinco campi, sem distinção de idade ou qualquer tipo de tradição. O campus São Paulo, apesar de mais de 75 anos de existência, não possui nenhum leito de moradia estudantil, imaginem como estão os outros campi! Este é um exemplo pontual, mas muito significativo, de que a política de assistência estudantil da UNIFESP é pífia…

Esse problema tenderá a ser agravado ainda mais esse ano, devido à adesão impensada e a “toque de caixa” da UNIFESP ao Sistema de Seleção Unificado (Novo ENEM). A UNIFESP passará a receber estudantes de todo o Brasil, sem ter uma política clara de auxílios que permita a permanência na Universidade.

Por fim, temos que informar ao Excelentíssimo Ministro, que os seus esforços ditos para a diminuição da evasão escolar e da democratização do acesso à educação superior contraditoriamente falharam. A evasão na UNIFESP nunca foi tão grande como agora e a ocupação das vagas do SiSU é ínfima.

Subscrevemo-nos em defesa da Educação Pública, Gratuita e de Qualidade e em defesa da Assistência Estudantil e da Democracia na UNIVERSIDADE.

Centro Acadêmico Alexander Fleming (Farmácia e Bioquímica | Diadema)

Centro Acadêmico Ana Brêtas (Enfermagem | São Paulo)

Centro Acadêmico III de Setembro (Biologia | Diadema)

Centro Acadêmico de Fonoaudiologia (São Paulo)

Centro Acadêmico Leal Prado (Ciência Biológicas – Modalidade Médica | São Paulo)

Centro Acadêmico Pereira Barretto (Medicina | São Paulo)

Centro Acadêmico Simão Mathias (Química | Diadema)

Associação dos Pós-Graduandos da UNIFESP

Diretório Central dos Estudantes da UNIFESP

Anúncios