Informes

Fernanda: comenta sobre o mini Erem, evento da DENEM, que será realizado dia 25,26 e 27 de setembro e convida todos para participarem. Quanto ao abaixo assinado realizado pelos CAs sobre a ausência de políticas de alimentação, relata que houve reuniões com o institucional porém essas reuniões não foram efetivas e isso resultou na necessidade de realizar  o abaixo assinado.

Pautas 

  1. Acompanhamento das ADEs
  2. Vagas para representante discente
  3. Retorno presencial e alimentação (adicionada)

I. Acompanhamento das ADEs

João Chau (abertura da pauta): comenta sobre o acompanhamento que vem sendo realizado nas reuniões do CAPB sobre como estão acontecendo as atividades em cada turma. Complementa que foi uma iniciativa de vários CAs para entender o que está ocorrendo, de forma mais geral, com os estudantes.

Representantes da turma 88

Ana Carolina: pontua que foi realizado um formulário na turma para avaliar de maneira  mais geral como estão as ADEs e de maneira específica cada unidade curricular. Dentre as colocações do formulário, um dos pontos principais foi que os alunos sentem-se desmotivados a estudar, principalmente pela falta de aulas práticas. Algumas UCs foram elogiadas, por exemplo: IPM. Todos os alunos da 88 têm acesso à internet através de computador ou tablet. Outra dificuldade colocada é quanto a falta de consciência dos familiares quanto ao estudo domiciliar, sendo que algumas famílias não levam a sério o estudo em casa. Por fim, comenta que houve melhoras comparadas ao início das ADEs e há apenas problemas pontuais em relação a alguns professores.

Gustavo Volpon: concorda com os apontamentos da Ana Carolina e complementa sobre a dificuldade de organização de estudo. Além disso, aponta que há um professor não está disponibilizando as gravações das aulas síncronas.

Representantes da turma 87

Vivian Ivata: o segundo ano está diferente das outras turmas. Não houve problemas em gravar as aulas e é possível passar um retorno sobre eventuais problemas aos professores. Exemplifica que em parasitologia havia um prazo curto para a realização de atividades e quando essa questão foi levada ao professores houve melhora quanto a isso.

Paulo Ramos: o contato com os professores esta dinâmico e eles estão muito solícitos. O segundo ano foi o menos afetado e com resultados mais satisfatórios possíveis diante do momento vivido 

Representantes da turma 86

Alan Brito (realiza a apresentação do forms passado na turma 86):  comenta sobre as peculiaridades do terceiro ano e coloca que há matérias que dão muitos problemas enquanto outras não.  A maior dificuldade da turma é conseguir acompanhar o grande volume de matérias e o cansaço em blocos completamente síncronos. Além disso, a disciplina para estudar é outra grande dificuldade dos estudantes. Isso ocorre pelo ambiente domiciliar não ser adequado para o estudo. Foi muito colocado que há desmotivação por parte dos estudantes, mas tende a melhorar futuramente. Semiologia da mulher possui um grande número de aula e de exercícios. O bloco da cardiologia tem como problema a parte referente a vascular em que são colocadas aulas e exercícios antes do horário propriamente destinado no cronograma para isso e no horário destinado os professores esperam que os alunos tenham todas as atividades que foram previamente disponibilizadas (fora do horário) prontas. Soma-se a isso que a cardiologia não deixa de exigir presença nas aulas síncronas. Quanto a infectologia, foi no geral bem avaliada, todas as aulas são síncronas (o que é positivo e negativo). Há um secretário que grava aula e disponibiliza diretamente no classroom e o volume de exercícios é adequado. Há muitos professores que gostam de cobrar presença através de chamada, mesmo que o regulamento diga que não poderia haver computação de presença por chamada mas após a conversa com a Samira o problema foi resolvido. Alguns alunos colocaram que as aulas são muito longas e cansativas. O bloco da oftalmologia é muito bom e tem poucas coisas para se ajustarem, foi a melhor disciplina avaliada pelos estudante. A didática é boa, as aulas são assíncronas e os professores são compreensíveis. Havia momentos para que dúvidas fossem tiradas. Há alguns pontos negativos, que são: a  falta de literatura complementar para aprofundamento e alguns alunos acharam que o bloco, por ser assíncrono, deixou o estudo um pouco pesado. IPC estava sem foco, sem planejamento e os alunos se sentiram perdidos, foi  um bloco desorganizado. Os pontos negativos foram repassados para o Aécio. A psiquiatria foi mediada pela avaliação dos alunos. O aspecto positivo foi que houve boa interação com os professores que estavam abertos para comunicação e melhora de aspectos negativos. Quanto aos ao aspecto negativo, destaca-se que as aulas tinham um volume muito grandes e conteúdos densos. Esses pontos foram repassado para os professores da psiquiatria.  Vigilância em saúde foi junto com oftalmologia o bloco mais bem avaliado. A coordenadora do bloco é resolutiva e aberta ao diálogo. O único ponto negativo é que  algumas aulas que eles pecam no conteúdo. Por fim, será realizada a compilação do formulário e ele será apresentado na próxima subcomissão.

Representantes da turma 85

Vitor Gabriel: anestesiologia e oftalmologia foram, de forma geral, bem avaliadas. Foi disponibilizado documento para os estudantes colocarem críticas positivas e negativas. A avaliação do forms da 86 é muito semelhante ao  forms da 85. Houve vários problemas nos blocos que foram solucionados com o diálogo com os professores mas ainda há problemas. Foi solicitado, para as professoras Samira e Amélia, uma reunião quinzenal com os representantes de cada bloquinho. Há um problema específico quanto a DDI em todos os blocos; os professores estão cobrando para que as aulas sejam assistidas antes do horário programado no cronograma. A patologia é uma área que está desorganizada em que não são disponibilizadas aulas gravadas, só disponibilizam os slides. para solucionar o problema, haverá uma reunião com o departamento. Também há professores que insistem cobrar frequência.

Discussão aberta

Fernanda: resgata sobre a questão do formulário. A ideia partiu do Centro Acadêmico de ciências sociais, o propósito do formulário era uma avaliação das ADEs de forma mais geral, pontuando os problemas que acontecem de forma recorrente. Por exemplo: o tempo que deve ser reservado para as pessoas se dedicarem a aula, a cobrança de presença e disponibilização de internet. Há questões de âmbitos mais gerais que devem ser colocados como problemas para serem discutidos.

João Chau: as ações estão ocorrendo de maneira fragmentada e os problemas são comuns e recorrentes. É  importante se discutir não só questões materiais mas também quanto a saúde mental e o tempo de dedicação viável para o estudo que são coisas que não estão sendo seguidas. A conselheira da CCM coloca que não há problemas quanto a tempo de aula e quantidade de atividades o que é não é condizente com o que foi trazido. As questões práticas (presença, aulas gravadas, etc) estão sendo discutidas mas não ha discussões sobre o ensino em si e quanto a desmotivação. Por isso é importante ver as coisas que estão por trás disso.

Larissa Parra: questiona se a realização do formulário da turma 88 teve algum ponto positivo.

Ana Carolina: não houve ainda reunião para a apresentação dos resultados. só será visto essa questão na última semana do mês, então não há nada concreto.

Fernanda: os professores insistem em cobrar presença e isso não é levado para outras instâncias. Isso leva a um desgaste no dia a dia e as instâncias de graduação geral acham que está tudo bem. Poderia ser avaliado uma forma para instrumentalizar essas questões. Acredita que é importante a realização dos formulários e que é uma forma de diagnóstico do que já houve.

Vitor Gabriel: comenta sobre a questão levantada pela Larissa sobre os formulários. Os questionários têm uma força grande porém acredita que eles são instrumentos de mudança através de outros contextos (alteração de estruturas dentro do curso e currículo). Comenta alguns exemplos das mudanças que foram conseguidas mediante aos formulários. Para momentos pontuais não acredita que eles possuam grandes efeitos, sendo que as reuniões semanais servem mais em momentos assim. Acredita ser cedo para que sejam realizados formulários no contexto de avaliação de UCs.  

Fernanda : propõe a produção de um formulário mais geral unificado em todas as turmas. Acha que é uma forma de instrumentalizar a fala dos representantes nas instâncias da Unifesp, pois, muitas vezes, as falas dos representantes discentes são deslegitimadas. Por exemplo, tem docente que afirma que as aulas não passam de 2h nunca, sendo que é mentira em vários casos. É necessário estar no diagnóstico da Unifesp acerca das ADEs no geral. Questiona o que a 88 e a 86 acham sobre, uma vez que já fizeram questionários de acompanhamento das ADEs mais detalhados sobre. 

Paulo Ramos: concorda com a fala do Vitor. Expõe um problema que é a falta de aderência das pessoas aos formulários. Sente que cada vez é gerada uma maior aversão a formulários. Propõe um formulário mais geral nas férias (fim do primeiro semestre). Propõe uma plataforma entre os representantes discentes nas diversas instâncias onde contenha documentos de informes, por exemplo, para facilitar a comunicação entre os representantes discentes.

Vitor Gabriel: propõe a elaboração de um documento, como o Powerpoint, compartilhado entre representantes discentes para facilitar as demandas das turmas, as quais seriam mais gerais e objetivos. Não concorda com a elaboração de diagnósticos por meio de formulários, pois aponta que isso às vezes acaba prejudicando a comunicação nas reuniões.

Fernanda: entende os pontos abordados. Concorda com a ideia do Paulo da comunicação inter-instâncias. Possui dificuldade em só usar falas e não formulários, pois parece que não tem legitimidade essas falas. Entende que os formulários não serão longos (no máximo 7 questões bem gerais), que abordam questões muito problemáticas. Sustenta sua proposta. 

Paulo Ramos: concorda que manter só via fala é bastante complicado. Sugere um meio termo, por exemplo, um documento que formalize as queixas individuais sem a necessidade de passar por avaliações em todas as turmas. Questiona se existe um documento avaliativo sem a necessidade de formulário.

Larissa Parra: concorda com a relutância das pessoas com a adesão de formulários, mas não consegue ver um outro caminho. Sugere do formulário ser aplicado.

Fernanda : sugere um canal, por exemplo, uma ouvidoria, em que as pessoas possam colocar esses problemas que estão tendo. Questiona se seria melhor que um formulário.

Vitor Gabriel: gostou da ideia da Fernanda. Não entende como é nos outros campi, mas uma denúncia sobre, por exemplo, um professor que cobra presença, que vai direto para a pró-reitoria não é tão eficiente. Existem outros meios, como a coordenação do curso. Assim, acha que a forma mais eficiente é um canal aberto que seria levado para a coordenação. Reitera sobre a proposta do documento compartilhado entre os representantes de turma. Entende que contempla bem. 

Fernanda : consensua com o canal aberto, que as demandas possam ser colocadas, sem pular instâncias. Entende que existem problemas que precisam ser falados. 

Encaminhamentos : 

  • Criação de um canal contínuo de acompanhamento das ADEs por meio do centro acadêmico – APROVADO POR CONSENSO
  • Criação de um drive coletivo entre os representantes discentes das diversas  instâncias e o CAPB para facilitar a comunicação das demandas – APROVADO POR CONSENSO

II. Vaga para representante discente – gestão câmara de graduação 2020~2022  

Vinicius : abriu uma vaga para representação discente na gestão da Câmara de Graduação. Essa instância diz respeito aos cursos da Escola Paulista de Medicina, na qual possui um representante discente de cada curso e um suplente. Trata sobre assuntos acadêmicos da graduação, por exemplo, faz contato com a Pró-reitoria de graduação. Normalmente, chegam pautas já passadas na CCM. Os mandatos de representante discente duram 2 anos e são trocados a cada troca de gestão. O Vinicius entrou em maio do ano passado, não chegou a dar dois anos. 

Fernanda : tem prazo para essa indicação até dia 21/09.

*Alan e Vinicius possuem interesse na vaga.* 

Encaminhamento:

  • Indicação do Vinicius Reis e Alan Brito como representantes discentes da medicina na Câmara de Graduação – APROVADO POR CONSENSO

III. Retorno presencial e alimentação

Isaac : comenta sobre o abaixo-assinado feito pelos CA’s do campus São Paulo acerca de demandas de alimentação, pois a política de alimentação para estudantes do 5º ano da medicina e 4º ano da fonoaudiologia não está acontecendo. O abaixo-assinado começou a passar hoje. Pede que todos enviem nos grupos que estão para ter alta visibilidade. Está difícil criar uma oficina de cartazes. Propõe uma campanha das pessoas fazerem em casa os cartazes de denúncia do que está ocorrendo e, então, levarem em um dia específico todos os cartazes.

Fernanda : para dar continuidade do que o Isaac disse, é necessária uma divulgação grande sobre, principalmente, das denúncias do que está ocorrendo. A faculdade aprovou o retorno dos estudantes sem uma política de permanência estudantil. 

Isaac : propõe a divulgação do dia de intervenção (colagem de cartazes) e da divulgação do abaixo assinado nas redes sociais do CAPB. Ressalta que outras turmas voltam já em novembro e que essa questão da alimentação não vai estar solucionada sem uma articulação até lá. Propõe que o CAPB faça uma arte para ser colada no campus. 

Fernanda : concorda com a proposta do Isaac, pensando que é difícil marcar um encontro para as pessoas irem produzir os cartazes juntamente. Assim, um dia de colagem apenas é melhor, considerando a pandemia. 

Amanda : não entende que panfletos no campus vai gerar alguma adesão à causa, por conta da falta de movimento no campus.

Fernanda : explica que a ideia é publicizar esse movimento, pois já foram feitas reuniões com instâncias. Assim, é uma alternativa ao “sentar para conversar com a institucional”. A ideia é publicar essa intervenção para surtir algum efeito.

Mariana : aborda sobre postagens feitas nas redes sociais sobre o que está acontecendo e eles não surtem muito efeito, então acha válido tentar expandir as ações de mobilização. 

Forms para o abaixo assinado aqui

Encaminhamentos : 

  • Divulgação para as pessoas produzirem cartazes em casa e marcar um dia para colagem desses cartazes no campus São Paulo – APROVADO POR CONSENSO
  • Impressão de cartazes feitos pelo CAPB com apoio do sintunifesp e adunifesp – APROVADO POR CONSENSO
  • Divulgação ampla do abaixo assinado nas redes sociais do CAPB  – APROVADO POR CONSENSO

Estiveram presentes:

Larissa Parra
Daniele Vieira Passos
Rafael Prado
Mariana Prete
Carla Nascimento
Vinicius Reis
Fernanda Souza
Maria Luiza Aguiar
Isaac Costa
João Vitor Chau
Gustavo Volpon
Ana Carolina Z. Oliveira
Paulo Ramos
Vivian
Alan Brito Botelho
Vitor Gabriel
Amanda Vieira
Gustavo S. Zanin
Mateus Menezes
Natalia Ardito Schimidt
Vinicius Vergani
Rodrigo Pereira Barbosa
Giovanna Magno
Gabriel Giovane Souza Santos

Com a tag

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s