Ao longo de 2019, o Centro Acadêmico Pereira Barretto (CAPB) passou por um intenso processo de esvaziamento, observado finalmente na ausência de formação de chapas para as eleições ao final do ano. Com isso, foi realizada uma assembleia de curso, que deliberou por estender a gestão 2019 até Maio de 2020 e criar um Grupo de Trabalho (GT) aberto, responsável por auxiliar a gestão (já sobrecarregada) e mobilizar os estudantes para a realização de novas eleições em 2020.
Entretanto, diversas análises trazidas em reuniões e por último na assembleia de 11/06 colocam que o GT não conseguiu cumprir sua função, sobretudo por questões organizacionais e de esvaziamento. Somado a isso, a atual pandemia prejudicou a comunicação e a atuação junto aos estudantes e trouxe a intensificação de demandas estudantis existentes e o surgimento de novas,
ressaltando a importância da entidade estar ativa e atuante nos âmbitos da representação estudantil e da formação política.
Face a isso, a discussão sobre a realização das novas eleições foi trazida em uma das reuniões online, chegando-se ao entendimento de que um processo eleitoral à distância seria muito prejudicado do ponto de vista político e não seria qualitativo. Nessa situação, outras entidades estão procurando maneiras de se adaptar à pandemia, com a extensão das gestões já eleitas, por exemplo. Entretanto, o CAPB apresenta a especificidade de já ter feito esse movimento e dessa forma, com o encerramento da gestão 2019 estendida, convocou-se Assembleia Geral de Curso, realizada em 11/06.
Na Assembleia Geral de Curso de 11/06, com pauta de continuidade do CAPB, foi deliberada a criação de um novo GT (Grupo de Trabalho) aberto, que atuará por até 6 meses ou até que se façam novas eleições para o Centro Acadêmico. A intenção da criação de um novo GT é assegurar que o CAPB possa atuar mesmo sem haver uma gestão eleita, de forma a garantir que possamos dar continuidade às ROs (Reuniões ordinárias, com sua função deliberativa), espaços de acúmulo e discussões políticas, sociais e culturais.

Direitos do GT:
● Deliberar as ações dos departamentos.
● Presidir ROs e Assembleias.


Deveres do GT:
● Promover o retorno e manutenção das ROs semanais, com lista de presença.
● Publicar as atas e repasses nas redes sociais e site.
● Realizar reuniões mensais para acompanhamento, com elaboração de
relatório.


Deveres dos membros:

● Participação em 75% das ROs.